segunda-feira, 1 de março de 2021

AS PROFECIAS BÍBLICAS

 

INFORMAÇÃO 

Durante o actual confinamento, as nossas reuniões estão a ser realizadas via zoom, todos os Domingos, pelas 17H30 locais (hora de Portugal).

Para participar, basta enviar um email para o seguinte endereço: luzparaocaminho77@gmail.com e logo o/a adicionaremos à lista dos participantes.

Esperamos que muito em breve possamos regressar às habituais reuniões presenciais.




domingo, 28 de fevereiro de 2021

REUNIÕES VIA ZOOM

INFORMAÇÃO 

Durante o actual confinamento, as nossas reuniões estão a ser realizadas via zoom, todos os Domingos, pelas 17H30 locais (hora de Portugal).

Para participar, basta enviar um email para o seguinte endereço: luzparaocaminho77@gmail.com e logo o/a adicionaremos à lista dos participantes.

Esperamos que muito em breve possamos regressar às habituais reuniões presenciais.


segunda-feira, 10 de agosto de 2020

O DIA EM QUE JESUS VISITOU O LÍBANO

Ela era só uma pobre mulher angustiada, mas Jesus não Se importou de ultrapassar o cansaço da longa viagem e todas as barreiras e preconceitos que os separavam para a alcançar. Era "só" uma mulher, mas para Ele era um coração aflito que urgia abençoar.

"Levantando-Se dali, foi para os termos de Tiro e de Sidom. E, entrando numa casa, não queria que alguém o soubesse, mas não pôde esconder-Se; porque uma mulher, cuja filha tinha um espírito imundo, ouvindo falar d'Ele, foi e lançou-se aos Seus pés. E esta mulher era grega, siro-fenícia de nação, e rogava-Lhe que expulsasse de sua filha o demónio. Mas Jesus disse-lhe: Deixa primeiro saciar os filhos; porque não convém tomar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos. Ela, porém, respondeu e disse-Lhe: Sim, Senhor; mas também os cachorrinhos comem, debaixo da mesa, as migalhas dos filhos. Então Ele disse-lhe: Por essa palavra, vai; o demónio já saiu de tua filha. E, indo ela para sua casa, achou a filha deitada sobre a cama, e que o demónio já tinha saído."
(Evangelho segundo Marcos 7.24-30)


SEM CAUSA APARENTE...
Depois de mais uma acesa discussão com os fariseus e os escribas que tinham vindo desde Jerusalém para O contestar, Jesus decide fazer uma visita ao Líbano, às regiões de Tiro e de Sidom.

Parece não haver uma causa aparente para esta deslocação a uma outra nação, mas, entendendo que tudo quanto Jesus fez e ensinou tinha um propósito bem claro, descobrimos facilmente que a Sua visita a estas regiões teria a ver com o encontro d'Ele com uma mulher estrangeira, uma fenícia, algo que aparentemente violaria os paradigmas estabelecidos pelos religiosos judeus: afinal, um rabino jamais se encontraria com uma mulher, muito menos com uma estrangeira, uma "cachorrinha"...

Mas Jesus já nos havia antes surpreendido com o Seu encontro com uma outra mulher, também estranha a Israel, a mulher de Samaria, cujo contacto a levou a reconhecer n'Ele o Messias Salvador de Israel, e que viria a ser também o dela e do seu próprio povo samaritano. 

Fazendo uso da expressão então usada pelo apóstolo João de que "Lhe era necessário passar por Samaria", podemos deduzir que esta Sua deslocação inesperada ao Líbano teria também a ver com uma "necessidade." Não a Sua, mas a de uma simples mulher atribulada e desesperada por ver a sua filha liberta do demónio que a possuía.

JESUS SEMPRE VAI ATRÁS DAS NOSSAS NECESSIDADES   Jesus, é mesmo assim: para Ele não conta a distância, a inquietação do inesperado, a quebra das barreiras estabelecidas pelos homens: para Ele o valor está na alma sofrida, no coração desesperado, no clamor do necessitado. Aparentemente terá sido esta a única mulher que Ele socorreu e libertou nesta longa deslocação, mas isso jamais representa para Ele qualquer desperdício de tempo nem de energias, pois Ele vê a necessidade no coração do ser humano como uma oportunidade para levar ali a Sua bênção. 

UM DEUS QUE NÃO PODE ESCONDER-SE                               O texto narrado por Marcos (7.24) é muito interessante, porque acrescenta um pormenor revelador: "E entrando numa casa, não queria que alguém o soubesse, mas não pôde esconder-Se." Jesus tinha todo o direito a um merecido e curto descanso numa região afastada e à Sua privacidade como Filho de Deus. Para quê Se incomodar? Afinal era "só" uma mulher...                                      Mas sendo um Deus de misericórdia e de compaixão, Ele não consegue ficar indiferente ao clamor de uma mulher, ainda que estrangeira, mesmo que sem direito à bênção pela sua condição de gentia, portanto legalmente excluída da graça e misericórdia concedida por direito aos filhos do Reino. 

UMA FÉ PERSEVERANTE                                                              A insistência desta mulher fenícia perante a aparente indiferença do Mestre ao seu pedido desesperado é um dos mais dramáticos e comoventes exemplos do que a fé consegue alcançar quando o alvo é a Pessoa certa e quando a motivação vai de encontro aos Seus propósitos. Jesus veio para libertar os cativos, e ver aquela mulher a sofrer por causa da possessão demoníaca da sua filha não podia certamente deixar de tocar o Seu coração bondoso e compassivo.        "Senhor, socorre-me!" - gritou ela. Ele não podia ocultar-Se. Ele não poderia ficar indiferente.

UMA FÉ TESTADA                                                                        Mesmo confrontada pela aparente recusa de ajuda, esta pobre mãe insistiu com o Mestre, não desistindo, antes pelo contrário, fazendo uso de uma fé activa que a levou a acreditar num final feliz para o seu drama. É certo que Jesus a testou ao máximo, levando-a a reconhecer a sua indignidade, miséria e ausência de direitos. É essa atitude de humildade perante o Messias de Israel, aceitando até ser considerada como uma "cachorrinha" que impressiona o Mestre. É que para o coração necessitado, até as migalhas que caiem da mesa dos herdeiros são bênçãos preciosas, pois transportam a graça e a provisão do Senhor. Para o desesperado, essas sobras satisfazem mais do que qualquer outro manjar à mesa.

UMA FÉ RECOMPENSADA                                                            É interessante ver como Jesus reagiu à fé daquela libanesa: "Ó mulher, grande é a tua fé!" Aquele mesmo Senhor, Filho de David, adorado por uma estrangeira suplicante, mesmo perante o desagrado e incómodo dos Seus discípulos ali presentes, revelou naquela hora o genuíno coração de um Deus que não pode ocultar-Se, mas que socorre o necessitado, não tendo em conta a dignidade ou a ausência dela no coração do pecador, mas sim o desejo sincero e desesperado da libertação dos males infligidos pelo inimigo da alma humana.        "Seja isso feito para contigo como tu desejas!" - Essa é a palavra mais consoladora que a mulher poderia ouvir. A sua fé foi correspondida! O Mestre tinha sentido a sua dor e atendido ao seu clamor! Ele era verdadeiramente Deus, Salvador e Libertador!

"E, indo ela para casa, achou a filha deitada sobre a cama, e que o demónio já tinha saído."


Jesus ainda é o mesmo hoje e sempre será. Independentemente da distância física ou espiritual a que te encontres d'Ele, qualquer que seja a tua angústia ou necessidade espiritual, podes acreditar que Ele virá em teu socorro, ouvindo o teu clamor, atendendo ao teu pedido e sossegando o teu coração.

Faz como essa mulher: Humilha-te perante Ele, adora-O como Deus e Salvador, deposita n'Ele toda a tua esperança, confia no Seu imenso poder, e descansa no Seu amor e cuidado. Ele é o mesmo Deus "que não pode esconder-Se" de ti...


                                    VENHA OUVIR A PALAVRA DE DEUS!

"Conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará" - Jesus

CENTRO COMUNITÁRIO CRISTÃO
Igreja Evangélica
Centro Comercial Londres, sala AC155 (1º andar) 
Senhora da Hora
Reuniões públicas todos os Domingos às 19H00 



sábado, 18 de julho de 2020

"ONDE ESTÁS?"

"E chamou o Senhor Deus a Adão, e disse-lhe: Onde estás?" (Livro do Génesis 3.9).

As narrativas da Criação ensinam que a vida é uma dádiva de Deus com Quem nos relacionamos.
A triste experiência de Adão e Eva reflecte a descoberta da nossa própria responsabilidade moral, da perda da inocência, das dores de criar filhos, da necessidade de trabalhar com as nossas próprias mãos, e do conhecimento da nossa própria mortalidade.
Nessa história, descobrimos que todos nós comemos da árvore proibida, e que nos escondemos de Deus.
Os acontecimentos que se passaram imediatamente após a escolha da humanidade de comer do fruto proibido são intrigantes. O que é que faria o Deus Soberano? Qual era a nova realidade? E qual o sentido da pergunta de Deus: "Onde estás?" Então Ele não sabia o que se havia passado? 
E o que dizer da resposta de Adão: "Fiquei com medo...por isso me escondi"?
Estas perguntas não passaram despercebidas aos antigos intérpretes da Bíblia. 

"Por que é que Aquele que conhece todas as coisas pergunta a Adão: Onde estás? As palavras não parecem ser uma pergunta, mas um tipo de ameaça e repreensão: Onde é foste agora parar, ó homem, de que bem é que te foste privar?
Não foi por falta de entendimento da parte de Deus que Ele perguntou a Adão onde ele estava, ou a Caim onde Abel estava, mas foi para convencê-los de que tipo de pessoas eles eram." (Filo de Alexandria, e Justino Mártir).

Deus está fazendo uma pergunta mais permanente e eterna: O que farás agora? Como irás lidar com a realidade que escolheste? Ficarás escondido e envergonhado, ou sairás para enfrentar a realidade? 
Estas são as questões implícitas à pergunta que mantém viva a história dos dias actuais.
Deus não inicia o Seu relacionamento com a humanidade decaída através de regras e condenação, mas com uma pergunta. Ele procura aqueles que se estão escondendo, envergonhados, no meio das árvores, aqueles que fizeram para si roupas improvisadas, que estão com medo de Deus.

Ele continua caminhando pelo jardim, buscando restaurar um relacionamento rompido pelo homem.
Ele não está distante algures no céu com os Seus braços cruzados. Ele não está indiferente.

Ele está presente, sempre procurando com a mesma pergunta: "Onde estás?"

(Adaptado de "Ensinamentos da Torá")

                  VENHA OUVIR A PALAVRA DE DEUS!
"Conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará" - Jesus

CENTRO COMUNITÁRIO CRISTÃO
Igreja Evangélica
Centro Comercial Londres, sala AC155 (1º andar) 


Senhora da Hora
Reuniões públicas todos os Domingos às 19H00 



terça-feira, 26 de novembro de 2019

JUSTIÇA, MISERICÓRDIA E GRAÇA PARA NÓS



Pregação no Domingo passado, 24 de Novembro de 2019, na Igreja Evangélica em Águas Santas, Portugal. 
Pregador: Normando Pereira Fontoura

segunda-feira, 13 de maio de 2019

NÃO PERCA A ESPERANÇA


          VENHA OUVIR A PALAVRA DE DEUS!
"Conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará" - Jesus

CENTRO COMUNITÁRIO CRISTÃO
Igreja Evangélica
Centro Comercial Londres, sala AC155 (1º andar) 


Senhora da Hora
Reuniões públicas todos os Domingos às 19H00 

sábado, 20 de abril de 2019

A MENSAGEM DA CRUZ

CRUCIFICADO PELOS HOMENS, MAS CASTIGADO POR DEUS PARA NOSSA SALVAÇÃO

Há cerca de 2 mil anos um homem foi crucificado como um criminoso numa cruz, fora da cidade de Jerusalém. Incriminado, mas não culpado. Seu nome: Jesus, o Messias (o Cristo).
Apesar de ter vivido uma vida perfeita, ajudando milhares de pessoas e não prejudicando ninguém, Ele foi rejeitado pelo Seu próprio povo.
A resposta dos homens ao Seu amor foi a morte. E morte de cruz, a pior na época.

Como é que Se portou o crucificado?
Ele suportou com paciência a humilhação e a dor terrível da crucificação. Em vez de lutar ou ameaçar, Ele rogou: "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem" (Lucas 23:34)
O Seu amor era mais forte do que o ódio dos homens.

Três horas de terrível julgamento
Quando Jesus Cristo, o Filho de Deus, estava pregado à cruz, o céu escureceu terrível e repentinamente. Durante as 3 horas de trevas, Ele estava sendo julgado em nosso lugar, pagando por completo e para sempre o preço da nossa salvação.
É por isso que um dos Seus últimos brados na cruz foi: "Deus Meu, Deus Meu, por que Me desamparaste?" (Mateus 27:46). Um grito de dor, de angústia e de sofrimento pelo desamparo sentido naquela hora em que sozinho suportou sobre Si mesmo todo o juízo de Deus Pai por causa dos pecados de toda a humanidade.

"Está consumado!"
Ao fim destas 3 horas de indizível sofrimento, o Filho de Deus entregou-Se ao Pai e declarou a  perfeição e plenitude da Sua obra de amor: "Está consumado!" A palavra original significa algo que se realizou por completo, uma obra perfeita e completa!
A morte de Cristo foi a nossa libertação da condenação! Podemos dizer que Ele morreu para "matar" os nossos pecados, libertando-nos assim de uma condenação eterna merecida por todas as nossas transgressões. Se Ele não tivesse dado a Sua vida naquela cruz, estaríamos perdidos para sempre!

Ressuscitou!
Mas, tal como havia sido anunciado pelos antigos profetas, Ele não experimentaria a corrupção. Ao terceiro dia, Ele ressuscitou pelo Seu próprio poder, saindo daquele túmulo e abrindo para todos nós uma porta de esperança e de possibilidade de salvação!
Ao ressuscitar, Jesus venceu a morte e o poder do inimigo, Satanás. E agora Ele vive para sempre!

Jesus morreu por ti!
"Cristo padeceu uma vez pelos pecados, o Justo pelos injustos, para levar-nos a Deus" (1 Pedro 3:18).

O que tens a fazer agora:
"Crê no Senhor Jesus Cristo e serás salvo!" (Actos 16:31).
"Arrependei-vos, e crede no Evangelho" (Marcos 1:15).
A mensagem da cruz fala do amor imensurável de Deus. Jesus Cristo deu a Sua vida em sacrifício perfeito e completo para salvar os pecadores do juízo eterno. Então, perante tal graça e amor, resta a cada um de nós admitir que a sua vida é má e imperfeita diante de Deus (confissão), acreditar que Jesus pagou a nossa dívida espiritual na cruz (redenção), e a partir daí receber o perdão garantido de Deus! Quando o fazemos com sinceridade, Ele promete livrar-nos do peso do pecado e oferece-nos uma nova vida, a vida eterna!

Uma oferta gratuita!
Esta oferta gratuita da parte de Deus aplica-se também a ti! O Senhor Jesus morreu na cruz por ti também, e agora mesmo convida-te a creres n'Ele e na Sua perfeita obra de salvação.


                                          Mas...cuidado!
Jesus Cristo é o Salvador, mas também é o justo Juíz! Para nos perdoar (justificar), Ele teve de carregar sobre Si todas as nossas culpas. Deus exigia o completo pagamento e expiação dos nossos pecados, ou seja: alguém tinha de ser castigado, alguém tinha de pagar o preço dos mesmos.
Aquilo que Jesus realizou na cruz foi exactamente pagar todo esse incontável preço por nós, para que não tivéssemos mais que o pagar, ainda que de nada adiantaria tentar fazê-lo:
"Agora nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus" (Romanos 8:1).
Contudo, aqueles que rejeitam ou não fazem caso de Jesus Cristo e da Sua obra de redenção permanecem carregados com o peso de todos os seus pecados, ou seja, condenados!
Após a morte física, Deus condenará para o inferno e sem retorno todos aqueles que, ainda em vida, não se tiverem arrependido dos seus pecados:
"Quem crê n'Ele não é condenado; mas quem não crê já está condenado" (João 3:18).

Uma decisão crucial
A mensagem da cruz coloca-te diante de uma decisão crucial e de suprema importância:
Recebe Jesus Cristo como teu Salvador, ou terás de encontrá-lo como teu juíz!
"Deus amou o mundo (a humanidade) de tal maneira, que deu o Seu Filho unigénito, para que todo aquele que n'Ele crê não se perca, mas tenha a vida eterna" (João 3:16).




                 VENHA OUVIR A PALAVRA DE DEUS!
"Conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará" - Jesus

CENTRO COMUNITÁRIO CRISTÃO
Igreja Evangélica
Centro Comercial Londres, sala AC155 (1º andar) 


Senhora da Hora
Reuniões públicas todos os Domingos às 19H00