quarta-feira, 2 de abril de 2014

A HISTÓRIA DE NOÉ É UM SÉRIO AVISO DE DEUS A TODA A HUMANIDADE

Foi estreado nos EUA e brevemente em muitos outros países o filme "Noé", cujo êxito de bilheteira já ultrapassa todas as expectativas. Certamente que o tema apocalíptico da história do Dilúvio universal ainda capta a atenção de muitos e aviva as memórias daqueles que aprenderam esta e outras impressionantes histórias bíblicas nos bancos das igrejas, das sinagogas e até de alguma escolas.
A história do Dilúvio e da sobrevivência de uma família num barco é aliás parte do património histórico e cultural de diversas civilizações, e, ainda que com versões e personagens diferentes, a história central é no entanto bastante semelhante.
Mas qual a verdadeira história e mensagem de Noé?
Ao estudarmos um pouco mais sobre a sua vida, sua mensagem e as condições da humanidade dos seus dias podemos fazer uma simples comparação com os dias actuais e descobrir para espanto de muitos que estamos exactamente a viver nas mesmas condições espirituais e morais que levaram o Eterno Deus a destruir toda aquela civilização pecaminosa através de um grande Dilúvio que destruiu por completo toda a vida no planeta terra, excepto a daqueles que se refugiaram na arca que Noé construiu sob as ordens de Deus.

A VERDADEIRA HISTÓRIA E MENSAGEM DA VIDA DE NOÉ
A Bíblia relata-nos que Noé era um homem "justo e íntegro entre os seus contemporâneos", de facto era até mais do que isso: Noé "andava com Deus." Foi pela sua conduta impoluta e exemplar, que Noé "achou graça diante do Senhor" (Génesis 6:8). Era sem dúvida um homem "justo diante de Deus no meio desta geração" (Génesis 7:1).
Noé era um homem "temente a Deus" (Hebreus 11:7), ou seja: levava Deus a sério, era um homem de fé, obedecendo a tudo o que Deus lhe ordenava. Ao crer na palavra de Deus em que Ele iria destruir o mundo através de um grande dilúvio, Noé preparou-se, construindo juntamente com seus filhos uma enorme arca, não só para salvação e protecção sua e de sua família, mas também para salvaguarda de todas as espécies de animais que existiam sobre o planeta.
Durante o tempo em que construía a arca, Noé era um "pregador da justiça" (2 Pedro 2:5), avisando as pessoas do juízo de Deus que em breve destruiria toda a humanidade. Já o seu bisavô Enoque havia pregado a mesma mensagem: "Eis que vem o Senhor entre as Suas santas miríades, para exercer juízo contra todos e para fazer convictos todos os ímpios, acerca de todas as obras ímpias que impiamente praticaram e acerca de todas as palavras insolentes que ímpios pecadores proferiram contra Ele" (Judas 1:14,15).
Segundo o historiador judeu Flávio Josefo, "Noé, entristecido pela dor de os ver imersos nos seus crimes, exortava-os a mudar de vida."
Durante os muitos anos em que Noé pregou a justiça, a misericórdia de Deus ia sendo oferecida a todos, dando a cada um a oportunidade de se arrepender dos seus maus caminhos e voltar-se para um Deus ainda paciente: "A longanimidade de Deus aguardava nos dias de Noé, enquanto se preparava a arca..." (1 Pedro 3:20).

CONDIÇÕES DA HUMANIDADE DOS DIAS DE NOÉ
Ao contrário de Noé,  "a terra estava corrompida à vista de Deus, e cheia de violência...todo o ser vivente havia corrompido o seu caminho na terra." (Génesis 6:11 e 12). Era um "mundo de ímpios" (2 Pedro 2:5).
Jesus também Se referiu àqueles dias como tempos de grande indiferença espiritual, dias em que a preocupação das pessoas era o seu próprio bem estar e prosperidade material, um quadro que Ele apontou como sendo em todo semelhante aos dias finais da humanidade, aqueles que estamos certamente a viver nos dias actuais: "Pois assim como foi nos dias de Noé, também será a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como nos dias anteriores ao dilúvio, comiam e bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, e não o perceberam senão quando veio o dilúvio e os levou a todos..." (Mateus 24:37-39).
A corrupção, a violência, a maldade e a incredulidade eram então as características daquela sociedade, algo que infelizmente caracteriza também a sociedade dos nossos dias.

O EXEMPLO DE NOÉ
Quando Deus o informou do que iria acontecer ao mundo, Noé acreditou, simplesmente acreditou, não lançando dúvidas nem tampouco questionando Deus. Ele sabia que Deus estava certo não só na Sua análise da situação da sociedade mas também na Sua determinação em "dar cabo de toda a carne" (Génesis 6:13). Noé acreditou na Palavra de Deus e sabia que Ele era justo em tudo o que faria.
Não só este homem justo acreditou, como decidiu obedecer prontamente ao que Deus lhe mandou fazer, através da construção de uma arca, um enorme barco de 130 metros que serviria de salvação para ele e sua família durante a terrível tragédia: "Assim fez Noé, consoante a tudo o que Deus lhe ensinara." (Génesis 6:22). "E tudo fez Noé segundo o Senhor lhe ordenara" (Génesis 7:5). Não só construiu o enorme barco, como levou a sua família juntamente com ele, conforme Deus ordenara, como também fez com que as espécies representativas de todos os animais também subissem a bordo.

A HISTÓRIA VAI-SE REPETIR
Contrariamente àquilo que a maioria das pessoas pensa, a história de uma destruição global da humanidade como juízo divino vai voltar a acontecer, não sendo porém através da água, "não haverá mais dilúvio para destruir a terra" (Génesis 9:11), mas através do fogo.
As profecias bíblicas afirmam que "Os céus que agora existem e a terra, pela mesma palavra têm sido entesourados para fogo, estando reservados para o Dia do juízo e destruição dos homens ímpios...Virá, entretanto, como ladrão, o Dia do Senhor, no qual os céus passarão com estrepitoso estrondo e os elementos se desfarão abrasados; também a terra e as obras que nela existem serão atingidas." (2 Pedro 3:7 e 10).
Jesus revelou que as condições da humanidade imediatamente anteriores à Vinda do Juízo de Deus seriam em todo semelhantes às que antecederam e provocaram o dilúvio. Não será difícil identificarmos as condições actuais neste século 21 com a rebeldia, violência, imoralidade e indiferença espiritual daqueles dias. E tal como então aconteceu, Deus virá novamente trazer o Seu justo juízo a este mundo.
O pior em tudo isto, é que tal como aconteceu nos dias de Noé, a grande maioria das pessoas "não o perceberão" senão quando vier o juízo divino e os levar a todos...

COMO ESCAPAR AO JUÍZO DIVINO?
Tal como Noé, todo aquele que for "justo" diante de Deus será protegido no tempo da ira divina. Ser "justo" é andar na justiça de Deus, é receber a presença d'Ele na sua vida por uma simples confissão e de um genuíno arrependimento dos seus pecados e da aceitação do perdão e da graça de Deus em sua vida. E, tal como Noé, crer na Palavra de Deus e obedecer ao que Ele diz, sem hesitar, mas acreditar que o que Ele diz é a verdade libertadora que salva as nossas vidas da condenação eterna.
"Na verdade, na verdade vos digo: Quem ouve a Minha Palavra e crê n'Aquele que Me enviou, tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou da morte para a vida." (João 5:24).
E assim como Noé foi salvo entrando na arca, assim também todo aquele que entrar na verdadeira arca - Jesus - ficará seguro e salvo por toda a eternidade!

               VENHA OUVIR A PALAVRA DE DEUS!
"Conhecereis a Verdade, e a Verdade vos libertará" - Jesus

CENTRO COMUNITÁRIO CRISTÃO
Igreja Evangélica
Centro Comercial Londres, sala AC155 (1º andar) 


Senhora da Hora
Reuniões públicas todos os Domingos às 19H00 

1 comentário: